O QUE ESTÁ OCORRENDO COM A SEGURANÇA NOS EVENTOS GEEK NO DF?... E A BGF EIN?

Após os acontecidos lamentáveis no Animessumit 2024 onde um jovem atacou pessoas com uma agulha alegando lhes infectar com doenças, o que após apurado era uma espécie de "trote" que causou transtornos ao público e ao evento, ficou questionável como a segurança nos eventos está sendo organizada, este fim de semana tivemos a BGF - Brasilia Game Festival ocorrendo no Centro De Convenções Ulysses Guimarães e vimos um evento de segurança também muito frágil, basicamente sem revista na entrada, bolsas e mochilas sem nenhuma verificação e armas airsoft entrando no evento sem a ponta laranja, nós do lagartixa realmente nos preocupamos não somente com segurança de nossos correspondentes, mas do público.


É interessante como a BGF de 2023 foi melhor mesmo sendo menor, comparada a esta edição a primeira BGF tinha uma distribuição de som questionável porém um layout até interessante, neste evento isso regrediu mais ainda, assistir um concurso cosplay cujo o palco estava posicionado para os vidros espelhados do local onde o sol batia diretamente, absorvendo todo o calor ardente do cerrado foi uma escolha ruim principalmente para os cosplayers que sofreram com o calor pesado no local, não havia água acessível no evento a menos que você pagasse um preço injustificável para poder se hidratar, preços injustificáveis aliás eram para qualquer alimento ou bebida no evento, o sistema de ar condicionado do local não é adequado para este tipo de evento, a produção poderia sim adicionar pontos de ar mas não fez isso, o layout do evento era estranho, a primeira parte não te convidava para a segunda parte e muita gente saiu sem saber que havia mais estandes e palcos do outro lado do local, calor, segurança baixa, layout confuso, som de qualidade mínima, ao nosso olhar, se um evento for crescer e deixar a qualidade de lado, que continue pequeno e belo assim como foi a primeira edição em 2023.



É BRASIL NO SLIPKNOT!!! ELOY CASAGRANDE ESTÁ DERRUBANDO A INTERNET COM SUAS BAQUETAS!!!

 O Slipknot fez um show privado na churrascaria Pappy And Harriet's em Pioneertown, Califórnia, a banda está celebrando o primeiro albúm então fez um setlist com várias músicas antigas e apresentou finalmente ao público seu novo baterista, que depois de muito negar ficou obvio que é realmente Eloy Casagrande, ex Sepultura.

Photo por: Ellie Mitchell


Com uma máscara simplória, branca, traços tendo inicio na parte dos olhos e um furo de tiro no meio da testa Eloy espancou a bateria e deu a apresentação da banda uma sincronia nunca antes vista, um monstro que já sabemos a qualidade e técnica, haviam rumores antes de isso se concretizar e foram até desmentidos pelo mesmo Eloy, mas todos já estavam ansiosos para vê-lo na bateria do Slipknot, ainda mais depois de sua saída do Sepultura, há relatos de que na primeira fileira deste show a bateria estava sendo tão audível que abafava o som do restante da banda, todos sabemos que Eloy não tem dó no uso da força ao tocar, mas tudo com muita técnica e time, Bem vindo Eloy, e parabéns por dar um novo coração ao Slipknot.

Texto por: Lagartixa Do Amanhã

REBEL MOON PART 2

Rebel Moon Parte 2 - A Marcadora De Cicatrizes veio para dar continuidade a saga criada por Zack Snyder e recusada pela Lucas Film, se acomode para a leitura labigó, porque a critica vem aí...


O primeiro filme apesar de ter muitos momentos monótonos, eu Cyber, achei um filme redondo, com tudo dentro do proposto, estéticamente muito bom e com um roteiro meio básico porém funcional, para este segundo filme sinceramente, eu entenderia facilmente se um pessoa largasse o filme no meio e fosse fazer outra coisa de vida, afinal o filme enrola minuto atrás de minuto, Zack Snyder abusa das câmeras lentas aqui, tem câmera lenta até pra colheita de trigo na fazenda, aja paciência pra quem queria que o filme já começasse com umas boas tretas... ih meus jovens, esqueçam esse começo agitado porque aqui não passa nem perto, um romance sem sal e a necessidade de tensão que o filme prega jamais cola durante a premissa da batalha que está por vir, eu tive que me segurar porque minha vontade era ir pra cozinha e fazer um cuscuz e deixar esse filme quieto, mas fiquei com a esperança de ver pelo menos uma troca de tiros em algum momento.
Pelo menos o segundo ato do filme chega e a treta finalmente vem, o General Titus, aliás... personagem melhor desenvolvido aqui mostra o porque é chamado de general, muito tiro, máquinas disparando canhões e explodindo celeiros, machadadas e espadas incandescentes, aliás falando em espadas ocorre uma perda para o time de moçinhos de maneira tosca, poderia ser muito mais espetacular... Mesmo assim no quesito ação, quando a treta come, você até esquece do quanto o filme estava chato de assistir, acontece que o filme demora tanto pra chegar no que interessa que você vai aquecendo no meio do que interessa, julgando por como acaba a parte 2,  Zack tem intenção de continuar a saga e há rumores de que seriam 6 filmes... A ação salvou o filme, a ação é excelente, quando ocorre tem um ritmo bom, a batalha realmente tem jeito de guerra, é suja, poluída, coisa boa... para mim, um 6/10, aguardemos os próximos!

Critica por: CyberFrank